Friday, August 07, 2009

o que sinto

é o copo vazio
as contas em cima da mesa
o ralo de boca aberta
esperando a água cair

muitas garrafas limpas
nem mais uma gota
mas isso não terminou

todas as baterias se apagaram
ainda bem que não tocam

eu posso ver
mesmo de olho fechado
eu posso sentir
mesmo anestesiado

sei que não vão terminar
nem agora, nem nunca

foi o vento que me contou
que na presença de todas as cores
ou mesmo em luz amarelada
permanecem sonhos
visíveis, audíveis

mesmo no silencio mortal que vivo
existem notas graves

e tudo vem de dentro

e tudo morre ali mesmo
naquele momento.

mas não termina
nunca termina
há o gato agonizando na janela

há um pinto murcho
que acorda sozinho
e cisca coisinhas

tudo permanece como está

o vazo segue com a colher plantada
que não deu coisa nenhuma
(não imaginei que fosse dar)

alguém morreu
em silencio

mas não acabou.

5 comments:

Priscila Milanez said...

O que desespera é saber que "tudo vem de dentro". E que mesmo morto, não acabou (a permanência é desconcertante e quase irremediável)...

Belo texto, rapaz!

Emely said...

Cuidado com o Gato no Ralo e a agua na janela de boca Aberta!

=P

Anonymous said...

Sentimentos..sentimentos...

Beijos...

Malaspina pai..

Diêgo Lôbo said...

Olá, amigo, já ajeitei o link pro banner lá do blog, dê uma olhada, ok? http://essetalmeioambiente.wordpress.com/dicas/parcerias/
Quanto ao seu "infinito nulo de tudo", nada o que dizer, não acho que 'coisas' devem ser ditas depois de ler esse tipo de texto.

Abs

Juliana said...

Tuliooo :) valeu pela visita no Santa Clara!
Voltei a atualizar! Ou seja, os ultimos links ainda estão disponíveis para download! se precisar de alguma coisa é só falar que eu re-posto para você!!
Como vai a vida em SP?
Tem voltado mt pra RC?
Nunca mais te vi! Saudades!
beijos querido! tenha um ótimo fds!