Saturday, November 08, 2008

Em si nua.

Vamos ver. Vamos rever. Onde estavamos mesmo?

Lembro de você me querendo quando eu não te via.
Depois eu te querendo quando você não me queria.

Logo há amizade. Há mais?

Sei que entre esses pontos há tempo. Casos. Finais.
E nesses casos a tempos há sinais. Casuais.

Sexuais.

Logo há mais?


Me nua, minha meia lua.

Se nuar-me agora
Nesse momento lua
Entrego a ti, aurora
A verdade crua.

Tua lingua saliva
Traça no desejo o olhar
Tua lingua em si nua
A tormenta meu mar.

Ensinua
Lua minha lua,
Meia nua na cama
Chama. meia chama.

suo suas sua suamos suais suam
somosumsósomsexual
somossósexo
somosssss
Chama.

2 comments:

Questão de Essência said...

oooo man!!!te achei pela jubs!kakakak!tdo em paz?!abrassssssssssss

Heyk Pimenta said...

Olha aí, interessante.

Rapaz, vim pra avisar que continuou aquele tópico lá no manazinabre.blogspot.com, e umas questões legais a turma levantou lá.

Mais aí acabei lendo aqui seu poema, e primeiro de tudo: Vai ler o pedro mota, antropocosmico8.blogspot.com

tem relação, vale a pena ver. O pedro é meu amigo e vi muito nesse texto e num outro que o victor me mostrou seu, vi vi do pedro tbm, deviam se conhecer, pelos versos a princípio.

Abração.

Gostei do poema. Achei que começou besta. Mas quando você começou a misturar os sentidos com os sons e os sons com os significados das palavras ficou um poema bem legal. A coisa de misturar as palavras do final tbm gostei.

Legal. Vamos nessa!
E não deixa de ver lá o blog, o maná. Acho que essa discussão, pra quem tá nos blogs é uma discussão e tanto.